Independência. Uma palavra que além de grande por si própria, possui um significado ainda maior. Para mim, a independência foi o dia em que finalmente sai de casa dos meus pais para ir estudar o que eu mais amava, computadores. Eles nunca me apoiaram muito na minha decisão, dizendo que passar o dia em frente ao computador não era futuro para ninguém.

Apesar de não se conformarem muito com a ideia, não liguei e segui o meu sonho. Candidatei-me à universidade de Leiria e fui aceite na mesma com uma média de 16,7 valores (20 é o máximo aqui em Portugal).

Quando lhes dei a notícia, ficaram admirados, porque eles além de não apoiarem muito a minha decisão, também me achavam "burro", que não era capaz de tirar boas notas.

Naquele dia, senti-me independente e foi um sentimento que nunca irei esquecer. Senti que lhes havia dado uma chapada de luva branca. Até aos dias de hoje, foi sem dúvida uma das minhas maiores conquistas.

Atualmente, vivo independente deles. Moro num apartamento na cidade onde estudo, pago os meus estudos e as contas com dinheiro ganho por mim, através de um part-time que arranjei.

Em breve terminarei os estudos e vou entrar no mercado de trabalho, tendo em mente o seguinte: "Segui os meus sonhos e  estou a alcançá-los. Só não consegue a pessoa que não tentar!".

Sejam independentes! Sigam os vossos sonhos e provem aos que não acreditam em vocês que eles não poderiam estar mais errados.

"Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida." - Che Guevara

----------------------------------------------------------------------------------------------

Morgado, dia 19 de março de 2020.